sexta-feira, janeiro 23, 2009

Estar sozinho, e ter um coração.
Esse coração, que bate em direções várias:
estar sozinho, e decidir que o coração vaza em direções sem
[rumo.

Estar sozinho, e dispersar:
o coração foge e se rebela.
Na saúde, estar sozinho.

E seremos sozinhos, todos juntos,
Exército de solidões sem foco,
unirmo-nos no espaço que nos separa
e sermos,
sozinhos,
a frente que combate as pedras,
que nega o ar e que não acata
esse céu, esse mar.

Um comentário:

Dani disse...

Nossa, que bacana, Paulo, você escreve muito bem, traduz bem o sentimento pessoal e o coletivo ...

Grande beijo !!!