quarta-feira, junho 03, 2009

É hora de se perguntar se há causa para a chuva. É hora de se perguntar se há causa para a tristeza, para a vontade de morrer. Para o não lugar, o não ser, para o não pertencer, não amar. De cima para baixo, a catástrofe - perder o rumo, perder o chão. Em segundos, as engrengens que cuidadosamente você alisou, montou e engraxou se transformam em sucata pela força demolidora do não. E o coração grita, sem resposta possível: "Não seja!". Força é obedecer. A velocidade daquele carro convida a um atropelamento, a altura daquele prédio pede um salto e um espatifar-se no chão.

Um comentário:

Dani disse...

Ah mon Dieu, quel drame !!! Mais arrête !!! ;-/
Quand je te dis que la partie scorp de ta carte astrale t´as gâché, tu ne me crois pas !!!rs...
Non, mon cher ami, il n´y a pas de causes, à part le chagrin, partie forte et sensible qui nous fragilise et constitue notre âme tourmentée ...mais belle!!!Je comprends très bien ce que tu ressents... ;-)
Bonne nuit ...
:*