quinta-feira, abril 03, 2008

Veja, por exemplo (repare bem, querida) o belo sorriso que me mostra, e o teu gesto de saudar; a explosão de certas forças, traços oblíquos de seus passos, passo sem fundo do mistério. Tua cabeça é uma incerteza; tua pálpebra, ela pisca, e seu trajeto de mistério.

Um comentário:

Cristina Casagrande disse...

As pálpebras piscam porque não acreditam no que vêem. O sorriso sai para equilibrar o desconcerto.